Arquivo mensal: junho 2015

Resistência Cardiorrespiratória

Muitas vezes quando estamos iniciando um exercício físico que necessita de certa agilidade e um movimento contínuo do corpo (aeróbicos como corrida, bicicleta, corda, dança, entre outros) ficamos cansados rapidamente, principalmente pela respiração que fica ofegante e parece que nos “falta o ar” para dar continuidade. Como é natural de nós seres humanos sermos ansiosos, acabamos pensando que aquilo não faz nosso tipo e muitas vezes nos convencemos de que nunca vamos dar conta de realizar corretamente aquela atividade.

anigif

MAS NÃO É HORA DE DESISTIR!!!!

Insista! É hora de melhorar sua resistência cardiorrespiratória!

Mas o que é isso de “resistência cardiorrespiratória”, minha gente?

Para entendermos o que é resistência cardiorrespiratória precisamos saber o que é sistema cardiorrespiratório primeiro! Este nome cardiorrespiratório nada mais é que a junção do nome de dois sistemas do nosso corpo o cardíaco + respiratório, esta junção foi feita devido a grande dependência que um tem do outro.

A dependência dos dois sistemas surge porque várias partes do nosso corpo necessitam de oxigênio e quem o transporta até elas é o sangue. Como? As células do nosso corpo precisam de oxigênio para que tenham a energia para sobreviver. Para ser levado até as células o oxigênio é fixado e transportado pelas hemácias (unidades morfológicas contidas no sangue) até próximo das células, neste momento ocorre a troca gasosa, ou seja, as células ficam com o oxigênio e delas é retirado o dióxido de carbono e transportado novamente pelo sangue até que chegue aos pulmões, soltando o gás carbônico e entrando novamente na circulação sanguínea o oxigênio, reiniciando o ciclo.

A partir deste pequeno resumo, podemos agora entender como Resistência Cardiorrespiratória: O trabalho muscular será eficiente de acordo com a capacidade que os pulmões, coração e vasos sanguíneos tem de oferecer oxigênio e nutrientes para eles. Ou seja, quanto mais nos movimentarmos mais nossa musculatura vai precisar de oxigênio e nutrientes para fazer seu trabalho, e se realizarmos os exercícios regularmente mais preparado ficará o coração, o coração ficando mais ficando mais forte menos vezes ele vai precisar “bater” para realizar suas funções e assim ficaremos cada vez menos cansados durante as atividades físicas e de vida diária (até mesmo na faxina! rs).

Para aumentar a resistência cardiorrespiratória é necessário praticar exercícios que recrutem um grande número de músculos por um tempo contínuo. Se a intensidade do exercício físico aumentar, seja em relação ao tempo e/ou ao ritmo, a musculatura também aumentará o seu consumo de oxigênio.

É preciso “educar” o sistema cardiorrespiratório fazendo exercícios regularmente, pelo menos 2 vezes na semana, melhor ainda se 3 vezes. Iniciando com tempos que variam de 10 a 20 minutos, podendo aumentar a duração do exercício de acordo com que a resistência cardiorrespiratória for aumentando. Estes são os chamados exercícios aeróbicos (Aeros = ar e Bios = vida), pois durante sua execução há um aumento do consumo de oxigênio pelo organismo.

*Aeróbios ou aeróbicos?

Os dois existem na língua portuguesa e são sinônimos.

*Comer e olhar no espelho pode fazer mal ao coração?

A menos que se assuste ao olhar no espelho com tanta beleza, comer e não poder olhar no espelho é apenas um mito muito antigo.

*Comer e praticar atividade física faz mal?

Depende da quantidade e do tipo de alimento ingerido e a intensidade de atividade.

Quando é ingerido uma grande quantidade de alimentos em que os mesmos também sejam “pesados” a digestão demorará mais para ocorrer. O estômago quando está cheio precisa de muito sangue para realizar a digestão e se o exercício for de maior intensidade a musculatura também vai precisar de muito sangue. Os dois (estômago e músculos) vão começar a competir pelo sangue, isso pode causar uma indigestão e mal estar.

 

ALERTA

Exercícios físicos devem ser realizados regularmente! Realizar exercício físico intenso apenas uma vez na semana ou um dia a cada duas semanas ou um mês pode acarretar vários problemas. É prejudicial!

Espero que vocês tenham gostado do tema de hoje e que possa ajuda-los a entender melhor à respeito.

Mil beijos e até a próxima! :*

 

A dica é: Pule corda!

Praticidade ao se exercitar e queimar calorias

 

Junto com o Pilates sempre oriento meus pacientes a realizarem também uma atividade aeróbica, seja a caminhada ou bicicleta, que são as atividades mais comuns. Metade segue o conselho e a outra metade (não pasmem com a resposta) não. Fiquei então pensando no que poderia incluir de aeróbico em nossas aulas que pudesse queimar uma boa quantidade de calorias e sem precisar sair do lugar. Foi então que veio uma luz e com ela uma voz: CORDA!

BORA PULAR CORDA, GALERA!!!!!!!

DSC09992

Podendo queimar até mais calorias (dependendo do tempo e intensidade) que uma corrida ou bicicleta. Pular corda melhora equilíbrio, coordenação motora, aumenta a resistência cardiovascular, estabilidade articular, agilidade, fortalecimento das pernas e dos braços, além de perder muitas calorias e ser uma boa aliada para quem pratica outras atividades aeróbicas que necessitem de mais agilidade, mais no popularmente chamada de “esperteza”! rs

Eu sei que estava bom demais para ser verdade, mas infelizmente a corda tem sim suas contraindicações. Por ser um exercício de ritmo acelerado e com um contínuo impacto dos pés com o chão, a corda é contra indicada para os hipertensos, obesos e para os que já tem problemas nas articulações do tornozelo, quadril e, principalmente, nos joelhos.

Outro risco de pular corda é refente o tamanho da mesma. Simmmm, a corda tem que estar de acordo com a altura de cada um, senão o risco de tropeçar, “enroscar” ou bater a corda na testa é bem maior.

Tamanho da corda

  • Para pessoas de até 1,5m: 2,45m de corda
  • Para pessoas de 1,50m a 1,80m: 2,65m de corda
  • Para pessoas acima de 1,80m: 2,85m de corda

sem mais enrolações, agora vamos falar de calorias!

Gasto energético:

  • Pulando 30 minutos: você perde uma média de 350 calorias
  • Pulando 1 hora: você perde uma média de 750 calorias

Após ler este texto aposto que a primeira coisa que muitas pessoas vão fazer é… Pular corda! rs Muitos estarão determinados aos 30 minutos, os mais corajosos vão enfrente mesmo é 1 hora! Mas se não conseguir pular nem 1 minuto não fique triste pois, como já dito antes, a corda é um exercício de ritmo rápido e é preciso preparar o seu corpo antes de enfrentar uma maratona de corda. Por isso vou mostrar a vocês a forma como fui começando a pular corda e conseguindo cada dia pular mais um pouquinho.

Lembrando que é muito importante pular na garagem ou quintal, lugar onde se tenha mais espaço para não ficar batendo nos objetos. É também necessário dar o intervalo de uma dia entre um sessão de corda e outra, para que a musculatura possa descansar e no outro dia possa dar seus pulos com boa qualidade!

Preparo físico:

  • Primeira semana: As sessões das primeiras semanas vão ter a duração de 5 minutos.

Segunda-feira: 5 minutos de corda, pular 10 vezes e depois dar uma pequena voltinha e pular mais 10, assim por diante até chegar aos 5 minutos (a voltinha é pela aceleração dos batimentos cardíacos).

Quarta-feira: 5 minutos de corda, pular  de 20 em 20 vezes. Lembrando que nos intervalos é necessário dar uma voltinha!

Sexta-feira: 5 minutos de corda, pular de 30 em 30 vezes. Não se esqueça das voltinhas!

  • Segunda semana: Nesta semana já vai perceber que o seu corpo já vai estar bem mais resistente, mas ainda não é a hora de pular 5 minutos direto.

Segunda-feira: 5 minutos de corda, pular de 40 em 40 vezes, e nos intervalos as voltinhas!

Quarta-feira: 5 minutos de corda, pular de 50 em 50 vezes e dar suas voltinhas no intervalo!

Sexta-feira: 5 minutos de corda, pular de 60 em 60 vezes e não se esquecer das voltinhas!

  • Terceira semana: Nesta semana dividi os 5 minutos em dois tempos: para cada 2 minutos pulando corda direto 30 segundos de descanso. Na sexta-feira já estava quase conseguindo os 5 minutos direto.
  • Próximas semanas: É hora de começar a aumentar o tempo, a partir de agora cada um terá seu ritmo e tempo. Indico para passar dos 5 minutos para os 10 minutos, pois assim preparará melhor seu corpo para mais pulos. Ainda sim é necessário dar uma pausa entre os minutos que se consegue pular, e nesta pausa a voltinha, pois agora, até mais do que antes, o aceleração dos batimentos cardíacos é bem maior.

Não se esqueça de olhar para frente (de preferência em um ponto fixo) enquanto estiver pulando, pois ajuda no equilíbrio e na concentração para ter coordenação motora. Pular com as pontas dos pés amortece o impacto sobre as articulações e também sobre a coluna. Ter uma boa postura é fundamental, sempre que vou pular corda contraio também o abdômen e o bumbum afim de proteger minha coluna lombar.

Espero que vocês tenham gostado das dicas de hoje e que possa despertar um interesse em vocês para a prática desse esporte que é super antigo, mas ao mesmo tempo não há nada mais atual e divertido para se exercitar sem sair de casa!

Qualquer dúvida é só entrar em contato pelo email do blog: blogdalari@live.com

Estarei à disposição para ajudar no que for preciso!

Mil beijos e até a próxima!